IPPP

PERFIL INSTITUCIONAL

Histórico

Fundado em 1º de janeiro de 1973, por iniciativa de Valter da Rosa Borges, o Instituto Pernambucano de Pesquisas Psicobiofísicas – I.P.P.P. – é uma das mais antigas instituições de Parapsicologia no Brasil. Foi declarado de Utilidade Pública Estadual pela Lei nº 9714, de 3 de outubro de 1985, e de Utilidade Pública Municipal pela Lei nº 14.840, do Município do Recife, de 14 de janeiro de 1986.

O I.P.P.P. realiza cursos de Parapsicologia, pesquisas de casos espontâneos e em laboratório e presta, gratuitamente, orientação e aconselhamento a pessoas com problemas de natureza parapsicológica ou dotadas de aptidão paranormal.

A atividade e produção científica do I.P.P.P. não tem similar no Brasil, seja pela realização de congressos e simpósios de Parapsicologia, como pela publicação de livros especializados sobre a fenomenologia paranormal por seus associados.

Em 1993, o I.P.P.P. criou o Dia Nacional do Parapsicólogo em 29 de julho, com fundamento na data da realização do I Congresso Internacional de Parapsicologia, em Ultrecht, na Holanda, de 29 de julho a 4 de agosto de 1953, no qual foi adotado oficialmente o nome de Parapsicologia para a nova ciência.

Atividades

Em 1982, o I.P.P.P. começou a oferecer Cursos Básicos de Parapsicologia, destinados ao público em geral.

Em 1983, iniciou os seus Simpósios Pernambucanos de Parapsicologia, que são realizados, anualmente, sem interrupção, até a presente data.

Em 1986 realizou o V Congresso Brasileiro de Parapsicologia e Psicotrônica, no período de 3 a 5 de outubro, no Clube Internacional do Recife, o primeiro evento do gênero em Pernambuco e que contou com a participação de parapsicólogos de Pernambuco, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Pará.

Em 1988, o I.P.P.P. iniciou o Curso de Pós-Graduação em Parapsicologia destinado à formação do parapsicólogo.

Destaques

Em 1989, graças ao trabalho realizado pelo I.P.P.P. pela Parapsicologia em Pernambuco, a Constituição do Estado de Pernambuco, promulgada em 5 de outubro de 1989, no seu Art. 174, determinou que o Estado e os Municípios, diretamente ou através do auxílio de entidades privadas, prestassem assistência social ao superdotado e ao paranormal.

Em homenagem ao I.P.P.P., a Revista Brasileira de Parapsicologia, no seu primeiro número, em 1992, publicou a História do Instituto por ser “um dos grupos mais antigos que atuam no campo no país, o que lhe dá o caráter de pioneirismo” e pela suas “verdadeiras conquistas em elevar a Parapsicologia ao nível que merece neste país”.

Em 1996, começou a editar o Anuário Brasileiro de Parapsicologia, com a finalidade de divulgar os trabalhos dos parapsicólogos brasileiros e, ocasionalmente, de parapsicólogos de outros países.

Congressos e Seminários

Em 1997, o I.P.P.P. realizou o I Congresso Internacional e Brasileiro de Parapsicologia no Mar Hotel, em Boa Viagem, de 31 de outubro a 2 de novembro de 1997, com a participação de parapsicólogos do Brasil, Argentina, Portugal, Estados Unidos e Rússia. Foi a mais ousada e bem sucedida façanha do I.P.P.P. em toda a sua história.Todos os anos, o I.P.P.P. recebe visita de alunos de colégios e universidades para trabalhos sobre Parapsicologia, solicitados por seus professores.

Anualmente, o IPPP promove os Simpósios Pernambucanos de Parapsicologia, desde 1983, onde assuntos relevantes e atualidades são apresentados e discutidos. Para ver a lista de todos os Simpósios promovidos pelo IPPP, clique em TODOS OS SIMPÓSIOS PERNAMBUCANOS DE PARAPSICOLOGIA

Mensalmente o IPPP realiza o seu Seminário dos Múltiplos Saberes onde são debatidos temas nas áreas da ciência, da filosofia, da religião, das artes e da literatura.

O IPPP é constituído de profissionais das mais diversas áreas acadêmicas, alguns com mestrado e doutorado, e que integram o corpo docente e a equipe de pesquisa da instituição.